spot_imgspot_img

Ursos polares vasculham lixo para lidar com as mudanças climáticas


Ursos polares famintos estão se voltando para lixões para encher seus estômagos enquanto seu habitat gelado desaparece.

Nesta quarta-feira (20), uma equipe de cientistas canadenses e norte-americanos alertou que o lixo representa uma ameaça emergente para as populações já vulneráveis ​​de ursos polares, à medida que os animais se tornam mais dependentes de aterros sanitários próximos às comunidades do Norte.

Isso está levando a conflitos mortais com as pessoas, disse o relatório publicado na revista Oryx.

“Ursos e lixo são uma má associação”, disse o coautor Andrew Derocher, biólogo da Universidade de Alberta.

“Sabemos disso muito bem da perspectiva do urso marrom e do urso preto, e agora é um problema em desenvolvimento com os ursos polares”.

Os ursos polares dependem do gelo marinho para caçar focas. Mas com o aquecimento do Ártico quatro vezes mais rápido que o resto do mundo, o gelo marinho está derretendo no início do verão e congelando no final do outono. Isso força os ursos a passar mais tempo em terra, longe de suas presas naturais.

Para engordar, o relatório disse que os ursos polares estão agora se reunindo em massa em torno de lixões em lugares no Ártico e subártico, como Belushya Guba, na Rússia, e pilhas de ossos de baleia que sobraram de caças inuítes perto de Kaktovik, no Alasca.

Tal comportamento é arriscado. Os gerentes locais de vida selvagem podem matar ursos por preocupação com a segurança pública. E consumir lixo pode deixar os ursos doentes.

As embalagens geralmente são congeladas em restos de comida, de modo que os ursos polares acabam comendo plástico e outros materiais não comestíveis. Isso pode causar bloqueios fatais.

“Os ursos não conhecem todos os aspectos negativos que vêm com a ingestão de plástico e as doenças e toxinas a que provavelmente estão expostos em um ambiente (de aterro sanitário)”, disse o coautor Geoff York, diretor sênior de conservação da Polar Bears International, um Grupo de advocacia.

A situação, segundo os cientistas, deve piorar. As populações humanas estão aumentando no Ártico. Nunavut, Canadá, — onde vivem milhares de ursos polares — está projetado para crescer quase 40% até 2043.

Melhorar a gestão de resíduos continua sendo um desafio para comunidades remotas. O solo é frequentemente congelado, tornando difícil enterrar o lixo. E o transporte é caro. O financiamento federal será necessário para corrigir o problema, disseram os cientistas.

“Já tivemos algumas mortes humanas no leste do Ártico canadense”, disse Derocher. “É surpreendente quantos lugares que nunca tiveram problemas com ursos polares agora estão tendo problemas emergentes”.



Source link

Get in Touch

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

spot_imgspot_img

Related Articles

spot_img

Get in Touch

0FansLike
3,431FollowersFollow
0SubscribersSubscribe

Latest Posts