spot_imgspot_img

Primeira missão para trazer amostras de outro planeta deve pousar na Terra em 2033


A primeira missão a devolver amostras de outro planeta pousará na Terra em 2033, de acordo com funcionários da Nasa e da Agência Espacial Europeia (ESA). O rover Perseverance está atualmente coletando as amostras em Marte.

Enquanto Perseverance investiga o local de um antigo lago que existia há bilhões de anos, ele está coletando rochas e solo. Este material é interessante porque pode conter evidências de organismos microscópicos do passado que revelariam se a vida já existiu em Marte.

Cientistas terão a chance de usar alguns dos instrumentos mais sofisticados do mundo para estudar essas preciosas amostras.

O ambicioso programa Mars Sample Return envolve a colaboração entre as duas agências para recuperar 30 amostras do planeta vermelho. Múltiplas missões serão lançadas a Marte no final desta década para coletar e trazer as rochas de volta com segurança.

O programa está chegando ao fim de sua fase de projeto conceitual e a Nasa concluiu sua revisão dos requisitos do sistema. A revisão levou a mudanças que reduzirão a complexidade de futuras missões e aumentarão a probabilidade de sucesso, de acordo com funcionários da agência espacial.

“A fase de projeto conceitual é quando todas as facetas de um plano de missão são colocadas sob um microscópio”, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da Diretoria de Missões Científicas da Nasa, em um comunicado.

“Existem algumas mudanças significativas e vantajosas no plano, que podem ser atribuídas diretamente aos sucessos recentes da Perseverance em Jezero e ao incrível desempenho do nosso helicóptero em Marte”.

Inicialmente, o plano era lançar um rover de busca junto com um Sample Retrieval Lander em meados da década de 2020. Uma vez lançado na superfície marciana, o robô de busca teria recuperado amostras de onde Perseverance as escondeu na superfície do planeta.

Agora, o Perseverance será o principal veículo de transporte para trazer amostras para o módulo de pouso. A mais recente avaliação de saúde e expectativa de vida do rover mostra que ele ainda deve estar em ótimas condições para entregar as coletas em 2030.

O Perseverance voltará para o módulo de pouso, e o braço robótico do módulo de pouso transferirá as amostras.

O Sample Retrieval Lander transportará dois helicópteros de recuperação de amostras, de estilo semelhante ao helicóptero Ingenuity atualmente em Marte — em vez de um rover de busca.

“As operações recentes do helicóptero Ingenuity em Marte, que completou 29 voos — 24 a mais do que o planejado originalmente — nos mostraram a utilidade do potencial helicóptero de Marte”, disse Jeff Gramling, diretor do Mars Sample Return Program.

Os engenheiros ficaram impressionados com o desempenho do Ingenuity. O helicóptero sobreviveu mais de um ano além de sua expectativa de vida.

No caso de Perseverance não conseguir devolver as amostras ao módulo de pouso, os pequenos helicópteros poderão voar para longe do módulo de pouso, usar armas para recuperar as amostras e trazê-las de volta.

Os dois helicópteros de retorno das rochas coletadas serão semelhantes em tamanho ao Ingenuity, mas serão um pouco mais pesados.

As pernas de pouso virão equipadas com pequenas rodas de mobilidade para permitir que ele viaje no solo e voe, e cada helicóptero terá um pequeno braço que pode pegar tubos de amostra, disse Richard Cook, gerente do programa Mars Sample Return na Jet Propulsion, da Nasa.

Se a saúde do Perseverance permanecer a mesma nos próximos oito anos e não precisar de ajuda para devolver as amostras ao módulo de pouso, os helicópteros poderão observar e capturar imagens do processo.

Sonda da Nasa
Imagem da Perseverance, sonda da Nasa que irá buscar vestígios de vida em Marte / Foto: Reprodução

Obtendo amostras de volta à Terra

O Sample Retrieval Lander também carrega o Mars Ascent Vehicle — primeiro foguete que será lançado da superfície marciana, com as amostras guardadas em segurança. A espaçonave está programada para ser lançada de Marte em 2031.

Uma missão separada será lançada da Terra em meados da década de 2020, chamada Earth Return Orbiter, para se encontrar com o Mars Ascent Vehicle.

A bordo do Earth Return Orbiter está o Sistema de Captura/Contenção e Retorno, que coletará o contêiner de amostras do Mars Ascent Vehicle enquanto ambos os veículos estiverem em órbita ao redor do planeta.

O Earth Return Orbiter irá então voltar para a Terra. Uma vez que a espaçonave esteja perto do nosso planeta, ela liberará o Earth Entry Vehicle que contém o cache de amostras, e essa espaçonave pousará em solo terrestre em 2033.

Anteriormente, a agência disse que as amostras poderiam retornar à Terra até 2031, mas as datas de lançamento planejadas para o orbitador no outono de 2027 e o módulo de pouso no verão de 2028 criaram a nova data de chegada.

Os engenheiros estão atualmente testando componentes robóticos para a campanha nos centros da Nasa e da ESA.

O programa Mars Sample Return passará para a fase de projeto preliminar em outubro, que durará cerca de um ano. A fase de projeto resultará no desenvolvimento de tecnologia, bem como em protótipos de engenharia para os principais componentes.

“A ESA continua a todo vapor o desenvolvimento do Earth Return Orbiter, que fará a histórica viagem de ida e volta da Terra a Marte e vice-versa; e o Sample Transfer Arm que colocará roboticamente os tubos de amostra a bordo do Orbiting Sample Container antes de deixar a superfície de Marte”, disse David Parker, diretor de exploração humana e robótica da ESA, em um comunicado.

Diversas amostras

O rover Perseverance coletou 11 amostras de núcleo de rocha até agora. As rochas representam “um incrível conjunto de materiais”, disse Meenakshi Wadhwa, cientista principal do Mars Sample Return e diretor da Escola de Exploração da Terra e do Espaço da Universidade Estadual do Arizona.

“O mais recente, na verdade, é uma rocha sedimentar de grão fino que tem o maior potencial para preservar bioassinaturas, potencialmente, e por isso temos uma diversidade de materiais já no saco, por assim dizer, e muito empolgados com o potencial de trazendo isso de volta”, disse Wadhwa.

“Trabalhar juntos em empreendimentos históricos como o Mars Sample Return não apenas fornece dados inestimáveis ​​sobre nosso lugar no universo, mas também nos aproxima aqui na Terra”, disse Zurbuchen.

 



Source link

Get in Touch

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

spot_imgspot_img

Related Articles

spot_img

Get in Touch

0FansLike
3,431FollowersFollow
0SubscribersSubscribe

Latest Posts