Grupo evangeliza familiares do pior acidente aéreo no Brasil; tragédia completa 12 anos
Grupo evangeliza familiares do pior acidente aéreo no Brasil; tragédia completa 12 anos

Grupo evangeliza familiares do pior acidente aéreo no Brasil; tragédia completa 12 anos
Grupo evangeliza familiares do pior acidente aéreo no Brasil; tragédia completa 12 anos
Grupo evangeliza familiares do pior acidente aéreo no Brasil; tragédia completa 12 anos

Da redação

imagem20-07-2019-01-07-54
imagem20-07-2019-01-07-54
Grupo Consolador evangeliza familiares das vítimas no local

No último dia 17 de julho deste ano, o maior acidente da aviação brasileira completou 12 anos. Estamos falando da tragédia do voo JJ3054 da TAM. O Airbus A320, que vinha de Porto Alegre, não conseguiu parar na pista do Aeroporto de Congonhas.

A aeronave atravessou a Avenida Washington Luís, zona sul de São Paulo, e colidiu com um prédio da companhia. A catástrofe causou 199 mortes, sendo 181 passageiros, 6 tripulantes e 12 em solo.

+ Justiça condena ex-Bispo Alfredo Paulo a pagar R$ 1,8 mi por calúnias contra a Igreja Universal

+ Câmara dos Deputados homenageia os 42 anos da Igreja Universal

+ Igreja Universal ressocializa 11 mil detentos no Brasil por meio de projeto

No local do acidente foi construída a Praça 17 de julho em homenagem às vítimas do desastre. Nesta data, o memorial é visitado por familiares que trazem uma dor que o tempo não foi capaz de curar.

Conforto e fé

Por isso, o projeto Consolador, da IURD, realizou uma ação no local na manhã de quarta-feira (17), levando mensagens de fé e consolo a parentes das vítimas e pessoas que passaram pela praça.

VEJA TAMBÉMIgrejas controlam nove dos 50 veículos mais influentes do país

“Procuramos respeitar o espaço das famílias, mas ao mesmo tempo nos aproximamos para levar alívio e consolo. Falamos sobre o poder que há na fé para vencer os momentos mais difíceis da vida e realizamos orações por eles”, disse o Pastor Renê Moraes, responsável pelo grupo em São Paulo.

No total, 16 pessoas foram atendidas entre familiares e pessoas que visitavam o local. Entre elas estavam Roberto Silva e a sua esposa, Terezinha, pais da comissária de bordo Madalena Silva, que tinha apenas 20 anos na época do acidente.

“Jamais podemos menosprezar a dor do luto de alguém, ainda mais em casos tão traumáticos. Para muitos, nem mesmo o tempo tem funcionado como remédio para tamanha dor. Devemos nos apegar à promessa feita pelo Senhor Jesus de que nos enviaria o Consolador. Só Ele pode enxugar todas as lágrimas”, acrescenta o Pastor.

Veja seu depoimento no vídeo abaixo:

(Com Universal/Rafaella Rizzo)

Relacionado

Comentários

Atenção! Os comentários do Jornal Fogo Cruzado DF são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios podem ser denunciados por outros usuários, acarretando até mesmo a perda da conta do Facebook.

imagem20-07-2019-01-07-58
imagem20-07-2019-01-07-58