Antes de tirar a vida pastor dirigiu culto fúnebre de fiel que tinha se matado
Antes de tirar a vida pastor dirigiu culto fúnebre de fiel que tinha se matado
PROPAGANDA

Horas antes de tirar a própria vida, o pastor Jarrid Wilson, 30 anos, pediu orações enquanto se preparava para oficiar o funeral de uma cristã que havia se suicidado.

PROPAGANDAPROPAGANDA

“Oficiarei um funeral para uma mulher apaixonada por Jesus que tirou a própria vida hoje. Suas orações são muito apreciadas pela família”, ele escreveu às 14h01 em sua conta no Twitter.

Cerca de 15 minutos depois, Kay Warren, cofundadora da Igreja Saddleback, parabenizou o pastor Wilson por estar disposto a ser o “braço de Jesus” para a família da mulher que tinha tirado a própria vida. “Orando, Jarrid. Sua família devastada precisa de muita ternura e compaixão agora. Grata por sua disposição de ser os braços de Jesus para eles”, escreveu a esposa do pastor Rick Warren, que também perdeu um filho em um caso de suicídio.

Em 5 de abril de 2013, o filho do casal Warren, Matthew, matou-se aos 27 anos, após uma longa e privada luta contra a doença mental. Isso fez dela uma defensora pública da prevenção ao suicídio e da conscientização da saúde mental, com mensagens voltadas ao público cristão.

Wilson, que era pastor associado da Harvest Christian Fellowship em Riverside, Califórnia, foi um incansável ativista na defesa da vida. Ele e a esposa fundaram uma organização chamada Anthem of Hope (“hino da esperança”, em tradução do inglês) para, “centrado na fé”, oferecer ajuda a pessoas que vivem “lutando contra o fracasso, a depressão, a ansiedade, a automutilação, o vício e o suicídio”.

“Amar Jesus nem sempre cura pensamentos suicidas. Amar a Jesus nem sempre cura a depressão. Amar Jesus nem sempre cura o TEPT [transtorno de estresse pós-traumático]. Amar a Jesus nem sempre cura a ansiedade. Mas isso não significa que Jesus não nos oferece companhia e consolo. Ele sempre faz isso”, escreveu o pastor Wilson às 17:01 na segunda-feira. Horas depois, ele tiraria a própria vida.

Segundo o portal The Christian Post, um artigo publicado há pouco mais de um ano pelo pastor Wilson destacava sua luta ao longo da vida com sua própria saúde mental, enquanto reprimia a ideia de que o suicídio condena as pessoas ao inferno.

“Por mais terrível que pareça, problemas de saúde mental podem levar muitas pessoas a fazerem coisas que de outra forma não fariam se não lutassem. Se você não acredita em mim, eu encorajo você a conhecer alguém com TEPT, Alzheimer ou TOC para que você possa entender melhor de onde eu venho. Como alguém que lutou contra a depressão durante a maior parte da minha vida e pensou em suicídio em várias ocasiões, posso garantir que o que estou dizendo é verdade”, escreveu o pastor, em uma espécie de desabafo.

“A realidade é que você não ousaria dizer que alguém que morreu de câncer está indo para o inferno só por causa da doença dele, certo? Espero que não. Então, por favor, não assuma que alguém que morreu de suicídio por depressão grave também esteja indo para o inferno. Ambos são doenças. Ambos podem levar à morte”, acrescentou.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Can’t sleep, so I’m watching this video over and over again . I took this on Monday evening around 7:30 pm at our son’s baseball practice. By 11:45 that night, my sweet husband was in the presence of Jesus. I love you, jarrid. I miss you beyond what my heart can stand. Thank you for loving our boys and I with the greatest passion and selflessness I’ve ever seen or felt in my entire life . I’d do anything for a hug from you right now. I keep hearing on repeat what you told me all day every single day, “gosh I frieking (how he always spelled it) love you.” Longing to be with you, longing to make you proud. The boys and I miss you so much. I frieking love you too. So much more than you could ever know. Wish I could tell you that right now. We all do .

Uma publicação compartilhada por Julianne Wilson 🌿 (@itsjuliwilson) em 10 de Set, 2019 às 9:20 PDT

O luto

Às 23h45 da noite de segunda-feira, Wilson estava morto, de acordo com uma publicação de sua esposa, Juli, no Instagram logo após a meia-noite da quarta-feira.

“Não consigo dormir, então estou assistindo esse vídeo várias vezes”, disse ela, referindo-se ao vídeo acima, que ela gravou com o marido no treino de beisebol de seus filhos no fim da tarde de segunda-feira.

“Eu peguei isso na segunda-feira à noite por volta das 19h30 no treino de beisebol do nosso filho. Às 11:45 daquela noite, meu doce marido estava na presença de Jesus. Eu te amo, Jarrid. Sinto sua falta além do que meu coração pode suportar. Obrigado por amar nossos meninos e eu com a maior paixão e altruísmo que já vi ou senti em toda a minha vida”, escreveu ela.

“Eu faria qualquer coisa por um abraço seu agora. Eu continuo ouvindo repetir o que você me disse o dia todo, todos os dias, ‘caramba, eu estou chorando (como ele sempre soletrava) te amo’. Desejo estar com você, desejo deixá-lo orgulhoso. Os meninos e eu sentimos tanto a sua falta. Eu também te amo. Muito mais do que você jamais poderia saber. Gostaria de poder dizer isso agora. Todos nós queremos”, acrescentou a viúva.

Uma campanha de arrecadação de donativos na plataforma GoFundMe foi criada para ajudar a família do pastor Jarrid Wilson na terça-feira, e até o fechamento desta matéria, já arrecadou mais de US$ 75 mil doados por 1.396 pessoas, com a meta de alcançar US$ 90 mil.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Forever tryna get these dudes to chillllll the heck out hahah but so grateful we get to bring them along for the ride. Wouldn’t want it any other way🖤⚡️

Uma publicação compartilhada por Julianne Wilson 🌿 (@itsjuliwilson) em 25 de Ago, 2019 às 8:52 PDT

Conteúdo Bloqueado

Ajude-nos a crescer! Compartilhe esta matéria com seus amigos no Facebook clicando no botão abaixo para desbloquear o conteúdo automaticamente. Compartilhar é grátis!

Clicando no botões você concorda com os termos de uso e política de privacidade