Pastor evangeliza 1000 pessoas e é morto como "terrorista" na Coreia
Pastor evangeliza 1000 pessoas e é morto como "terrorista" na Coreia
PROPAGANDA

A iniciativa de um pastor norte-coreano impactou a vida de pelo menos 1000 pessoas na fronteira China-Coréia do Norte, ao levar o conhecimento do Evangelho de Jesus Cristo para uma região onde a ideologia comunista é responsável pela perseguição, tortura e até morte dos dissidentes.

PROPAGANDAPROPAGANDA

O pastor Han Chung-Ryeol entrou para a lista dos mais procurados pelo regime comunista coreano, em 2003, pelo seu trabalho de evangelismo na cidade fronteiriça de Changbai desde os anos 1990.

Basicamente, Han acolhia os refugiados da Coreia do Norte oferecendo alimento, roupas e outras necessidades básicas, mas sempre de forma secreta, visto que na China a repressão aos cristãos também é recorrente.

Sempre que tinha a oportunidade, o pastor Han falava de Jesus Cristo para os coreanos, e assim cerca de 1000 pessoas foram alcançadas pelo Evangelho através do seu trabalho. Sang-chul foi uma dessas pessoas. Ele contou em um pequeno documentário lançado pela organização A Voz dos Mártires como conheceu o pastor.

“Na escola primária, fomos ensinados que todos os missionários eram terroristas”, disse Sang-chul na gravação. “Eles nos disseram que um missionário será gentil com você no começo, mas quando o levarem para casa, eles o matarão e comerão seu fígado”.

Sang explicou que ao fugir da Coreia pela fronteira com a China, pegou cogumelos para vender na cidade de refúgio, visando sobreviver. Mas como não falava o idioma local, Sang teve dificuldades de conseguir vender os produtos.

Foi graças ao pastor Hang que Sang teve como sobreviver, pois ele se ofereceu para vender os cogumelos de Sang, e assim fez sempre que o encontrava, sem receber nada em troca. Ao ser questionado o motivo de fazer aquilo, o pastor disse: “Porque sou cristão”.

Aós um tempo, o pastor Hand falou abertamente de Deus para Sang, que ficou ainda mais surpreso pela atitude. “Eu não podia acreditar que ele diria a palavra ‘Deus’. Ninguém diz essa palavra “, disse Sang-chul. “Sabemos que é um ato de traição”.

Felizmente, Sang encontrou coragem em Deus e pediu uma Bíblia para estudar em casa, junto com a sua esposa, e ambos entregaram suas vidas para Cristo. Em 2016, no entanto, uma notícia deixou todos muito tristes.

Sang-chul soube que alguns norte-coreanos estavam sendo homenageados por seu trabalho de matar um missionário “terrorista” cristão. Imediatamente o novo convertido da Coreia do Norte soube que se tratava do pastor Hang.

“Quem mais poderia ser? Ficamos assustados”, disse ele, segundo o Christian Post. A Voz dos Mártires confirmou o assassinato do pastor Hang em Changbai, na China, aos 49 anos de idade. O seu corpo foi esquartejado e os restos mortais encontrado horas depois.

“O pastor Han deu a vida, mas deu esperança a mim e a muitos outros norte-coreanos”, disse Sang-chul. “E apesar do perigo sempre presente, muitos de nós continuarão compartilhando a mensagem de que Deus é real”, conclui o cristão.

Conteúdo Bloqueado

Ajude-nos a crescer! Compartilhe esta matéria com seus amigos no Facebook clicando no botão abaixo para desbloquear o conteúdo automaticamente. Compartilhar é grátis!

Clicando no botões você concorda com os termos de uso e política de privacidade