Estelionatário que deu golpes em mulheres no DF é preso em Minas Gerais

0
291

[faceturbo]Com uma vasta ficha criminal em diversos estados, o estelionatário que já fez mais de 30 vítimas em todo o país foi preso na cidade de Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais. Luiz Armando Silvestre Ramos, 41 anos, fez diversas vítimas no Distrito Federal. Um grupo de mulheres se uniu para denunciá-lo: três delas no Distrito Federal, uma em Formosa (GO) e outra no Novo Gama (GO). Além de procurar a polícia e orientar outras mulheres que tenham caído na lábia do farsante, elas denunciaram em uma rede social os cerca de 18 perfis que o homem mantém e as fotos que ele coloca em aeroportos do Brasil à caça de novas reféns.

De acordo com a Polícia Civil de Minas Gerais, a prisão ocorreu pouco depois das 18h40 da quinta-feira (30/6). Por meio de uma denúncia anônima, uma pessoa avisou à Polícia Militar que Luiz Armando estava em um Fiat Siena com placa do Distrito Federal dirigindo rumo a um bairro da cidade mineira. Policiais militares foram até o local, identificaram um mandado de prisão contra ele e o prenderam. Ele segue detido em uma unidade prisional da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) à disposição da Justiça.

Para ludibriar as pretendentes, o golpista se dizia oficial do Exército Brasileiro, lotado na Agência Brasileira de Inteligência (Abin), ou policial federal cedido ao órgão. Com perfil inteligente e sedutor, ele contava ser formado em psicologia e economia, com pós-graduação em marketing. Uma das vítimas do DF, moradora do Cruzeiro, perdeu cerca de R$ 102 mil. A Polícia Civil do DF, de Goiás e do Ceará investiga os casos. Existem duas ocorrências registradas na 3ª Delegacia de Polícia (Cruzeiro) — uma enviada à Formosa (GO), onde mora uma delas —, outra na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) e registros na Delegacia de Defesa da Mulher em Fortaleza (CE). Mesmo com uma ficha criminal de recorrentes crimes, o homem continuava atuando nas redes sociais.

Filhos
Todos os sete filhos do acusado são fruto de relacionamento com vítimas. Não paga pensão alimentícia por recusa das ex-companheiras, que sabem da existência do golpe. Uma das primeiras vítimas foi uma autônoma de 35 anos, de Formosa (GO), em outubro de 2012. Em 15 dias, pediu a mulher em noivado. Em 2013, ela engravidou, mas um mês depois perdeu o bebê em aborto espontâneo. Ela deu ao golpista, ao todo, R$ 20 mil. “Ele sempre tinha uma estratégia para abordar as mulheres e tocar no ponto em que cada uma sente necessidade”, contou. Quando descobriu a farsa, a mulher recebeu ameaças. Em 10 de dezembro do ano passado, a 1ª Vara Criminal da Comarca do Tribunal de Justiça de Goiás de Formosa expediu medida protetiva em favor dela. “A minha força, agora, é lutar para que nenhuma vítima caia nesse golpe.”

A titular da Delegacia da Mulher, delegada Ana Cristina Santiago, explicou que, em 2009, uma das vítimas registrou ocorrência na unidade policial. O inquérito foi concluído em 2011.

Com informações de Isa Stacciarini[/faceturbo]