Com turnos extras, gestão pretende dar celeridade aos procedimentos

Os pacientes do Hospital Regional de Taguatinga, que estão na fila de espera por uma cirurgia de catarata desde 2017, começaram a ser operados nesta terça-feira (2) em uma força-tarefa montada pela unidade de saúde. O objetivo da ação é dar celeridade aos procedimentos e beneficiar os 1,2 mil pacientes que estão na fila de espera.

Para alcançar esse objetivo, foram organizados três turnos extras para a realização dos procedimentos. “Queremos diminuir a fila de espera. Com esses turnos que temos a mais é possível conseguir isso. Eu creio que vamos diminuir bastante a fila como um todo”, afirma o Responsável Técnico da Oftalmologia, José Alberto Paiva de Aguiar Júnior.

Os pacientes que estão à espera de cirurgia no HRT foram cadastrados em um sistema administrado pelo próprio hospital. Júnior relata que, durante o ano de 2017, a manutenção nos equipamentos não foi realizada devido à falta de contrato. Com as máquinas paradas a fila aumentou e a espera pela cirurgia também.

“Chamar um paciente que está na fila de espera desde 2018 na rede pública pode-se considerar normal. Mas não considero normal nem justo que alguém esteja a quase três anos aguardando. Por isso estamos fazendo essa mobilização para atender aos pacientes do HRT”, explicou o médico. Atualmente existe um contrato de manutenção e os equipamentos estão em pleno funcionamento.

ECONOMIA

Na Unidade Oftalmológica do HRT, os pacientes com indicação cirúrgica não realizam os exames de imediato para não perder a validade, que é de seis meses. Os pedidos de exames são entregues ao paciente somente no momento em que ele for chamado para a cirurgia. “Os exames são solicitados com tempo suficiente para a sua realização. Assim, não se perdem nem a cirurgia nem os exames, gerando redução de gastos públicos, pois, são feitos apenas uma vez”, esclarece José Alberto.

A orientação, para quem necessita de cuidados oftalmológicos, é consultar o médico da família na unidade básica de saúde mais próxima de sua casa. Esse médico fará o encaminhamento conforme o problema do paciente. Somente com a consulta ao oftalmologista que será realizado o diagnóstico e a prescrição para o procedimento indicado para cada caso.

CATARATA 

O oftalmologista esclarece que a opacificação do cristalino do olho surge, geralmente, com o avançar da idade. “O principal motivo do aparecimento da catarata é o envelhecimento do próprio organismo. É uma doença específica do idoso. Não quer dizer que o jovem não possa ter”.

Segundo ele, “no paciente diabético, a doença pode aparecer mais cedo. Além disso, um trauma também pode desenvolver a catarata. Mas ela é uma patologia típica do idoso e a cirurgia é curativa. O paciente volta a enxergar”.

Para a realização das operações, os médicos têm dois aparelhos facoemulsificador e dois microscópios cirúrgicos disponíveis. O médico conta que, para dar início à ampliação do número de procedimentos, foram conferidos os estoques de insumos junto à Farmácia Central para que as intervenções aconteçam sem imprevistos.

*Com informações da Secretaria de Saúde