AGÊNCIA BRASÍLIA

A Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde realizou, nesta terça-feira (7), uma vistoria em um salão de beleza da Asa Sul. A ação faz parte das fiscalizações programadas para o Dia das Mães. Até a próxima sexta-feira (10), a pasta pretende vistoriar 160 estabelecimentos do tipo em todas as regiões do Distrito Federal.

“Trabalhamos por amostragem e aproveitamos as datas comemorativas para focar em estabelecimentos que tenham a ver com a data. No ano passado, foram visitados 160 salões de beleza, dos quais 40 foram intimados a fazer correções em documentação, procedimento e estrutura”, diz o gerente de Fiscalização da Vigilância Sanitária, Leonardo Correa.

Na ação desta terça-feira, foram observados produtos vendidos e utilizados no salão, lavatórios, materiais de manicure e esterilização, além de ambientes como banheiros, local para armazenar produtos de limpeza e sala de depilação.

VISTORIA – “O estabelecimento receberá uma intimação devido a alguns problemas encontrados, como material de micropigmentação que não deveria estar sendo utilizado, já que não tem autorização. Também pedimos que façam uma melhor higienização nas escovas de cabelo e na área de ventilação do subsolo”, observou a auditora de Vigilância Sanitária responsável pela vistoria, Maria das Graças Machado Britto.

Ela complementou, porém, que, apesar dos pequenos problemas encontrados, o salão de beleza apresentou boa organização e limpeza, além de ter toda documentação necessária, exigida pela Instrução Normativa nº 6, da Secretaria de Saúde, publicada em dezembro de 2014.

Quando é encontrado problema, é feita a intimação e dado um prazo de até 30 dias para o dono do estabelecimento corrigir as questões. Não sendo resolvido, o comércio pode ser autuado. A penalidade vai de advertência à multa, que varia de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão.

Para a gerente do salão vistoriado, Seres Barbosa, este tipo de fiscalização é boa tanto para o cliente quanto para os profissionais. “Não adianta a cliente chegar aqui e sair linda, mas ter problemas de saúde em razão de materiais não esterilizados ou produtos vencidos. Por isso, estamos sempre atentos a essas questões”, assegurou.

CUIDADOS – A auditora Graça Britto alerta que, apesar de os salões de beleza oferecerem baixo risco à saúde, não sendo as normas de higiene e segurança respeitadas, podem trazer problemas como hepatites.

“A cliente pode ficar atenta à higienização das escovas e pentes, que devem ser limpos sempre após a utilização. As toalhas devem ser lavadas a quente. E os materiais perfurocortantes precisam ser esterilizados e embalados”, enumera.

Ela fez um alerta também em relação à depilação. “Em outras fiscalizações, já encontramos cera negra reutilizada. Então, a cliente deve observar se está sendo descartada a que foi usada. Em caso de cera caseira, a embalagem precisa constar do que é feita e a data em que foi produzida”, frisa a auditora.

Para quem encontrar problemas em estabelecimentos, pode fazer denúncia por meio da Ouvidoria, nos telefones 160 ou 162.

*Com informações da Secretaria de Saúde